quarta-feira, 17 de maio de 2017

Alfabetização Literária: os bebês e seus modos de ler

A pesquisadora com o seu bebê, em 1996
Como ensinar um bebê a gostar de ler?
A partir de estudos iniciados em 2015 com bebês desde o nascimento, pretendo descrever a “educação para o gosto” ofertada a um grupo de bebês que, aleatoriamente, foram sendo incorporados à investigação.
Parto do princípio de que a leitura, habilidade adquirida de crucial importância para a vida dos humanos em sociedade, deve ser apresentada à infância logo que nossos filhotes indiquem suportar a própria cabeça: quando conseguem ficar eretos, sentados sozinhos ou em nossos colos. É nesse momento que podem ser apresentados ao comportamento leitor que é aqui descrito como um grupo encadeado de atitudes que se sucedem e do qual faz parte o observar, ouvir, conter, abrir, folhear, ler, preservar, fechar e guardar.
Se bebês não têm manual de uso, como muitos de nós poderíamos desejar, por que não apresentar a eles o livro e a literatura desde tenra idade e em seus atributos? Por que não inseri-los no mundo da cultura letrada desde os primeiros contatos? Argumento que essa “apresentação”, no entanto, não pode ser eventual, aleatória, desorganizada, espontânea.
Como fonte teórica para o diálogo com as descobertas que realizo desde maio de 2015, utilizei-me de pensadores para quem as práticas formadoras do leitor são definidas pelo conteúdo – o que ler – e pelos procedimentos ou “como” ler. No primeiro aspecto, Cademartori (2014), Machado (2002), Paulino (2014) e Zilberman (2005), concordam que o texto literário deve ser ponto de partida para a alfabetização literária.
Com relação aos procedimentos, Tzvetan Todorov (2010) nos ensina que a principal função de um professor é iniciar os seus “nessa parte tão essencial de nossa existência que é o contato com a grande literatura” e que à escola deveria “ensinar os alunos a amar a literatura”. Entre os resultados, meninas e meninos bem pequenos e seus modos de ler literatura.
A seguir, os slides da palestra que fiz sobre o tema em 26/04/2017, a convite do Programa em Residência Médica em Pediatria do HE/UFPel, a convite do Supervisor, Dr. Amilcare Vecchi.











Nenhum comentário:

Alfabeteando...

Olá, bem vindo!

Um "Alfabeto à parte" foi criado em setembro de 2008 e tem como objetivo discutir a leitura e a literatura na escola. Nele disponibilizo o que penso, estudos sobre documentos raros e meus contos, além de uma lista do que gosto de ler.

Em 2013 concluí pesquisa sobre o Abecedário Ilustrado Meu ABC, de Erico Verissimo, publicado pelas Oficinas Gráficas da Livraria do Globo em 1936. O lançamento do livro e sua repercussão estão no Blog. Alguns artigos sobre a pesquisa também. Leia e dê sua opinião.

A novidade, em 2015, foi a inauguração da Sala de Leitura Erico Verissimo, um sonho antigo que agora se realiza. Em 2016, o processo de restauro da Biblioteca na Escola Fernando Treptow, inaugurada em 25 de novembro.

Em 2017 estou produzindo a Biografia de João Bez Batti. Através de relatos pessoais nos quais a criançaque João foi é a personagem principal, recosntruo, com narrativas litetárias, seu descobrimento como escultor. Bilíngue (português e italiano) o livro tem data para ser lançado: 11/11/2017.

Abraço

Cristina