sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Um carteiro: o mediador de leitura

O mediador pode ser conceituado como um carteiro, disse Mônica Baptista Correa.
E eu adorei.
Seu tesouro: as cartas.
Ele as entrega aos destinatários.
Alguns deles ainda não sabem decifrar e o carteiro é convidado a ler, em voz alta, as boas novas.
Às vezes tristes, as notícias unem dois mundos: o de quem planejou, providenciou, redigiu.
Planejou o envio, a entrega.
Providenciou papel, envelope, selos.
Redigiu cada uma das palavras, apagando algumas, exagerando outras, sonorizando cada uma.
As novas ali impressas, unem esses dois.
Mundos.
O de quem enviou.
E o outro.
De quem recebeu, ouviu, leu, se emocionou. 
Assim, a mediação é a apresentação de um texto a outrem, é um modo de dizer ao outro: "Escuta! Ouça só que interessante, que curioso esse autor! Ouça o que ele escreveu, perceba  a maneira única de dizer..."
A mediação é mais que a atividade de um carteiro.
O mediador é um curioso que espia todas as cartas que entrega.
Ele não obedece o princípio do sigilo: ele divulga o escrito.
E, não raras vezes, imprime voz ao emitente.
O destinatário chora após a emoção do carteiro que, tendo lido antes, não ameniza e sim imprime lágrimas na descrição do choro.
O mediador é um carteiro em desvio de função.
O mediador lê.
E não se fura de emocionar. 

Nenhum comentário:

Alfabeteando...

Olá, bem vindo!

Um "Alfabeto à parte" foi criado em setembro de 2008 e tem como objetivo discutir a leitura e a literatura na escola. Nele disponibilizo o que penso, estudos sobre documentos raros e meus contos, além de uma lista do que gosto de ler.

Em 2013 concluí pesquisa sobre o Abecedário Ilustrado Meu ABC, de Erico Verissimo, publicado pelas Oficinas Gráficas da Livraria do Globo em 1936. O lançamento do livro e sua repercussão estão no Blog. Alguns artigos sobre a pesquisa também. Leia e dê sua opinião.

A novidade, em 2015, foi a inauguração da Sala de Leitura Erico Verissimo, um sonho antigo que agora se realiza. Em 2016, o processo de restauro da Biblioteca na Escola Fernando Treptow, inaugurada em 25 de novembro.

Em 2017 estou produzindo a Biografia de João Bez Batti. Através de relatos pessoais nos quais a criançaque João foi é a personagem principal, recosntruo, com narrativas litetárias, seu descobrimento como escultor. Bilíngue (português e italiano) o livro tem data para ser lançado: 11/11/2017.

Abraço

Cristina