sábado, 13 de agosto de 2016

Longevas Pelotenses

Em uma casa de tecidos, João também trabalhou.
Por três anos.
1956. 1957. 1958.
Ali conheceu as gurias pelotenses.
Aos moldes das moças de Quintana, eram três.
Pelotenses, as de João.
De Encruzilhada, as do Quintana.
Mas três, as moças dos dois.
As de Quintana sonhavam enganar a morte.
As de João, conseguiram.
Presentes na memória de João, invadiram a minha.
Vida.
E passaram a existir desde então.
Como encontrá-las se não as conheço?
Como tomar um chá com bolo na confeitaria, se nunca as vi?
Como saber delas, de seus ais, seus encantos, seus namoros, seus passos em Paris?
Só isso eu sabia: estiveram na França, nos idos dos 50. Estudaram por lá. E voltaram, as três, para conhecer João.
Conheceram.
Observaram.
Leram seus desenhos.
Uma árvore.
Com raízes. Disse ele.
E desenhou no ar, para mim, a árvore de sua memória no papel para as três moças.
As três longevas pelotenses.
Com detalhes, completou.
E eu imaginei a árvore.
E as mãos de João, hoje talhadas em pedra bruta, elas mesmas ferramentas em tantos anos, voltaram a ser mãos de então. Os olhos, brilhando ao rememorar árvore frondosa, Perspicilium, para que eu visse o passado.
Estou em busca delas, as três moças, desde então.
Planejo cada passinho.
Já reservei uma mesa.
Não abro mão de um café.
E já escolhi minha roupa.
Quero escutá-las.
E dar a notícia ao João.
Quero saber seus nomes.
E quero apresentá-los:
- João, estas são as três moças que te conhecem desde as raízes, quero entoar.
Não perco esse café por nada!

Nenhum comentário:

Alfabeteando...

Olá, bem vindo!

Um "Alfabeto à parte" foi criado em setembro de 2008 e tem como objetivo discutir a leitura e a literatura na escola. Nele disponibilizo o que penso, estudos sobre documentos raros e meus contos, além de uma lista do que gosto de ler.

Em 2013 concluí pesquisa sobre o Abecedário Ilustrado Meu ABC, de Erico Verissimo, publicado pelas Oficinas Gráficas da Livraria do Globo em 1936. O lançamento do livro e sua repercussão estão no Blog. Alguns artigos sobre a pesquisa também. Leia e dê sua opinião.

A novidade, em 2015, foi a inauguração da Sala de Leitura Erico Verissimo, um sonho antigo que agora se realiza. Em 2016, o processo de restauro da Biblioteca na Escola Fernando Treptow, inaugurada em 25 de novembro.

Em 2017 estou produzindo a Biografia de João Bez Batti. Através de relatos pessoais nos quais a criançaque João foi é a personagem principal, recosntruo, com narrativas litetárias, seu descobrimento como escultor. Bilíngue (português e italiano) o livro tem data para ser lançado: 11/11/2017.

Abraço

Cristina